XFCE no Ubuntu: Poder e leveza

Depois de voltar a ter uma máquina um pouco mais antiga como principal, sofri um pouco com o tempo de resposta.

O grande problema de usar computadores de última geração é esse... Você se acostuma com a velocidade, e depois para fazer downgrade é um sofrimento.

Aí parti para alternativas de desktop mais leves, para compensar o processamento abaixo do costume. Instalei o XCFE por apt, com um simples comando de terminal, em uma instalação originalmente Gnome do Ubuntu Hardy:

sudo apt-get install xfce4

Depois, foi só reiniciar e escolher o XFCE como padrão na tela de login do Ubuntu.

E tive boas surpresas!

Ele é realmente muito mais leve, tem uma série de applets para as barras de tarefas, e suporta compositing nativo (sem compiz), com um clique na área de configuração.

A única ressalva é o gerenciador de arquivos, o Thunar, que falha no suporte a SMB e outros protocolos de rede. Mas rodar o Nautilus nele não influenciou muito no desempenho.

E como eu uso o Gnome-Do, que foi instalado no GNOME, ele já abre as pastas no nautilus por padrão.

Para quem está chateado com alguma demora no GNOME, acho que é uma boa pedida!

Talento Nato

Não tem jeito, tá no sangue.
Ele senta no colo, pega o teclado e começa a digitar com cara de sério... Com 4 meses e 20 dias!

Agora vê se pode...

Hora de se molhar!

Ego Post: Compartilhando um pouco da minha vida...

Foi muito agradável o tempo em que trabalhei na Bio Ritmo academia. Aprendi muitas coisas novas e deixei muito de mim por lá também.
É muito bom trabalhar entre amigos, como era na Bio. Até hoje.

Apesar de tudo, é muito ruim ser separado por mais de 120 km de sua casa todos os dias. Cansa demais. Dá saudades da família.

Continuarei a trabalhar aqui e ali em pequenos projetos, mas agora sou Chuva-Inc. A Chuva é formada por pessoas muito legais - o Fabiano Sant'Ana e o José San Martin ( e agora eu ), que conheci quando estava começando a aprender Drupal.

Agora fico a maior parte do tempo desenvolvendo aqui de casa, do ladinho do Pedro.
E de quebra ainda tem o luxo de sobrar um pouco de tempo para os planos para o futuro.

Enfim um tema decente!

Há muito tempo eu sabia que precisava de um novo tema que tornasse a leitura deste blog um pouco mais agradável.

Agora que este blog é definitivamente Drupal, aproveitei a inspiração artística para aprender mais sobre a manufatura de temas para Drupal.

Tanto este tema quanto o tema novo do Advanceweb foram feitos do zero, utilizando algumas idéias do tema Garland, Adobe Photoshop e editor de texto.

Algumas ferramentas web que me ajudaram:

Logo Creatr
Não utilizei a imagem gerada por ele, mas copiei a fonte Tahoma e o estilo de degradê.
Stripe Generator
Ótimo para gerar Patterns listrados para Photoshop
Perfect multi-column CSS liquid layouts
Ideal para montar layouts em colunas tableless, fluídos, sem truques de CSS, e compatíveis até com iPhone.
famfamfam: Silk Icons
Ícones bonitos, pequenos e discretos para ajudar a ilustrar a interface.

Espero que minha intenção de tornar a leitura do meu blog mais agradável tenha sido realizada.

Efeitos no Ubuntu Hardy sem compiz

in

Uma das novidades que descobri em algum fórum desses de ubuntu é que agora você não precisa de Compiz para ter efeitos como sombras e transparência de janela, e habilitar programas que precisam de Compositing para rodar, como o Avant Window Navigator (AWN).

Ainda não é muito intuitivo habilitar esta opção, mas o próprio Metacity consegue habilitar estes efeitos, inclusive ficando mais leve que o compiz, e apresentando menos problemas de compatibilidade em aplicações Java e Wine.

Para habilitar, abra seu terminal e digite:

gconftool-2 --type bool --set \
 "/apps/metacity/general/compositing_manager" "true"

Para desabilitar, basta rodar o seguinte comando:

gconftool-2 --type bool --set \
 "/apps/metacity/general/compositing_manager" "false"

Lembre-se que se você não tiver uma placa de vídeo com 3D, e não estiver rodando um driver com suporte a GLX/XGL, esta opção causará lentidão em seu ubuntu.

Demissão em massa na Telefonica pode ser causa do caos de hoje

Update: Virou notícia! Até na globo deu!

Hoje grande parte dos usuários de internet do estado de São Paulo enfrentaram grandes problemas para navegar.

Segundo uma fonte não muito segura, ontem foram demitidos cerca de 600 funcionários da Telefonica Barra Funda.

Um dos funcionários demitidos teria anunciado uma retaliação da massa demitida à Telefonica.

Desde ontem, os serviços de internet da Telefonica (Speedy, Interdados e Vivo Zap) têm apresentado lentidão, quedas de conexão, falha de DNS, e outros problemas.

Será mera coincidência?

Todoist: Minha escolha para lista de afazeres

Uma das coisas mais importantes quando você tem muitos projetos para lidar simultaneamente é organização.
Para quem gosta de fazer tudo (ou quase tudo) usando a web como meio, sempre há zilhões de opções difíceis de escolher entre elas.

Seguindo a lógica do GTD, é importante manter a organização fora da sua mente, salva em algum lugar - seja papel, planilha, documento, ou alguma dessas aplicações da tal web 2.0

Pessoalmente, acho que para isso as interfaces simples e úteis são ideais, pois exigem o mínimo de esforço para fazer o que quero. Todoist.com, que encontrei no lifehacker, foi uma que veio pra ficar.

Lá você consegue organizar seus afazeres em estrutura de árvore, grátis (tem algumas funcionalidades pagas, mas vive-se bem sem ela) e permite integração com o Gmail sem deixar sua caixa de entrada um chumbo - como o GTDinbox, por exemplo.

É tudo em inglês, mas creio que isso não seja problema sendo que inglês é a língua comum da internet. O orkut, por exemplo, já tinha milhares de adeptos brazucas muito antes de ser traduzido para nosso idioma.

No Todoist, é fácil agendar tarefas, inclusive recorrentes, usando siglas interpretadas pela interface. Seus e-mails do gmail podem se tornar tarefas com apenas um click em um favorito (também há uma ext do firefox que não funcionou bem no meu Firefox 3). Também há integração com dispositivos mobile, widgets para iGoogle, Netvibes e Dashboard, além de plugins para o famoso Quicksilver e seu correspondente Launchy. Além de uma API que permite integração outras ferramentas da web.

Essa acho que realmente vale a pena, simples e poderosa!

Com vocês... Drupal!

Finalmente, depois de muito script, instalação e configuração de módulos, e probleminhas com o servidor da locaweb, aqui está o meu novo blog.

Digamos que a novidade me traz um bocado de conforto, em ver que Drupal não só atende minhas necessidades de blog, mas também me gerou novas possibilidades. A versão em inglês do blog está para sair, e de uma maneira muito simples.

Agora só falta mesmo é criar uma distro do Drupal com este fim - atender necessidades comuns para blogar, de uma maneira simples. Porque para mim não foi tão simples, mas quero compartilhar os frutos.

O que fiz até agora para migrar meu blog de Wordpress para Drupal?
Resumidamente:

  • Criei um script de migração, pois nada existia na web para Drupal 6
  • Instalei alguns módulos ( cck, flickr, gravatar, image, imce, pathauto, tagadelic, token, views, xmlsitemap, wp_comments )
  • Pedi para a locaweb alterar uma opção do PHP.ini
    • Estou agora organizando tudo para compartilhar!

Google Developer Day 2008

Juntamente com meus colegas de trabalho da Bio Ritmo Academia Matheus e Wagner, ao invés da tradicional viagem até a Paulista de fretado, parei na estação de trem da Cidade Universitária hoje, para seguir até a estação Berrini e participar do Google Developer Day, no WTC de São Paulo.

Com abertura da equipe brasileira do Google, inicialmente foi apresentado o propósito atrevido da maior das empresas da era do conhecimento: Organizar toda a informação do mundo, e torná-la acessível e útil para as pessoas. E os caras estão caminhando pra isso!



Além de catar bolinhas com as cores Google, e encontrar pessoalmente o Punisher, do Dark Side Forum, ouvi bastante coisa sobre as crescentes iniciativas deles direcionadas a desenvolvedores. Os próprios desenvolvedores do Google palestraram sobre as APIs que o Google disponibiliza para Geolocalização, Desenvolvimento de Aplicativos Web, Redes Sociais e Dispositivos Móveis.

Todos os palestrantes falaram em inglês, mas curiosamente calculei no olhômetro apenas 30% do público utilizando o fone de tradução simultânea.

Os assuntos foram interessantes, e para mim o que teve mais destaque foi o App Engine, que permite criar aplicações web em Python na infra do Google. Inclusive, com a tecnologia de escalabilidade deles!

A nova API do Maps, com coisas interessantes nas versões JavaScript e Flash. As imagens com panorama são impressionantes!

A palestra Ajax State também foi muito legal, onde o palestrante apresentou uma visão geral do que hoje chamamos de Ajax. Da história, da variedade de APIs e frameworks que exitem hoje. Os que não conhecia são  SproutCore, que permite criar aplicações MVC no estilo Rails inteiramente em JavaScript, e Objective-J que é uma estrutura de envio de mensagens entre objetos no estilo SmallTalk, em JavaScript.

Ficou clara a tendência dos aplicativos web tomarem conta dos desktops, principalmente com iniciativas como o Prism/XULrunner (disponível do Ubuntu 8.04) e Fluid! para MacOSX. Com estes programas, você interagem com aplicativos web, como GMail, Basecamp ou Todoist, como se fossem aplicativos normais.
E com a tecnologia Google Gears, fica fácil suportar o uso offline de aplicativos web, com salvamento local offline, e sincronização quando a conexão está disponível. Aplicativos Google, como Google Docs e Google Reader já suportam o uso offline por meio do Google Gears.

Para quem sempre está de olho nas coisas, pode até parecer que não rolou muita novidade, mas foi agradável ser recebido pelo pessoal da equipe Google, e eles compartilharem conhecimento conosco.

De WordPress para Drupal - Porque migrar?

Finalmente, depois de alguns meses trabalhando com Drupal, me senti confortável para migrar esse meu blog de Wordpress para Drupal. Já comecei a ponderar e analisar os requerimentos, e achei uma boa pedida organizar o pensamento com um post.

Agora para não parecer um simples modismo, vou contar porque resolvi migrar, e porque só agora depois de algum tempo em contato com o Drupal.

1) Necessidades novas: Devido a meu envolvimento em diversos projetos internacionais, senti necessidade de ter um blog biligue, mas que não fosse porco ou gambiarra. No wordpress, só encontrei soluções-gambiarra para tornar o blog bilingue.

2) Código-fonte: Uma das coisas que mais me desperta curiosidade é a qualidade do código dos software que uso. Para quem entende um pouco de PHP, vale a pena baixar os dois e ler os códigos-fonte. Drupal tem um código limpo e comentado, e um projeto claro e definido. Wordpress tem muita gambiarra no meio do código e usualmente causa problemas de processamento e consumo de memória excessivos no servidor, fora falhas de segurança.

3) Curva de aprendizado: Comparando drupal com wordpress, podemos dizer que temos poder versus facilidade. Drupal é extremamente flexível, não sendo restrito ao uso como blog. É uma plataforma bem desenhada que serve como base para os milhares de módulos disponíveis. Mas apesar de tudo, até hoje, o Wordpress se mostra muito mais simples e amigável que o Drupal - por isso minha demora em migrar. Precisava conhecer o suficiente.

Update: As versões mais recentes do Drupal estão muito mais fáceis de usar, e um grande esforço ao redor da usabilidade tem sido cada vez mais empregado.

Meu amigo José San Martin, da Chuva-Inc tem uma idéia que pretendo ajudar a realizar: a de criar uma "distribuição" do Drupal para uso como blog, com tudo que se precisa para um blog, fácil de instalar e pronto para usar.
Uma versão como esta eliminaria a etapa mais complicada e restritiva de usar Drupal: a instalação e configuração do Drupal em si, e a escolha, instalação e configuração dos módulos contribuídos.

Divulgar conteúdo