Migração e Update...

Migration by warryroninPrecisei fazer uma migração de servidor, e decidi aproveitar para usar o novo e promissor wordpress 2.5.

Mas como tudo tem seus prós e contras, vou precisar de um tempinho no fds para reconstruir as coisas por aqui....

Desculpem a bagunça por aqui, mas quando tudo voltar ao normal, o blog estará melhor =D

Fazendo Amizade com o Zé Gotinha: Drupal

in

DrupliconUma das grandes novidades para mim ultimamente foi descobrir o Drupal. Porque Zé Gotinha? Dá uma olhada no ícone-mascote do projeto aqui ao lado, o Druplicon.

Já passei, há algum tempo, pela hype dos CMS. Fiquei cético até demais com este tipo de ferramenta, pois sempre tinham algum grande porém. Na época, as opções cogitáveis e de licença livre não eram muitas. Havia o Plone, o Mambo (que virou Joomla!), o Drupal e mais um punhado de outros que na época não me chamaram muito minha intenção.

Mas na época eu estava muito limitado pela necessidade de resultados imediatos. Acabei optando por plone, que era um nome muito falado e "promissor" naquele tempo. Falamos de 2004-2005. Plone era facílimo de usar, era baseado em uma linguagem de programação muito simples - python, e tinha sido pensado com a usabilidade e os fluxos de trabalho para grandes comunidades de conteudistas. Parecia perfeito. Mas tinha muitos bugs, às vezes coisas simples ficavam extremamente complicadas de implementar. E também o plone devora recursos do servidor e demora demais para processar as requisições e retornar as páginas.

Podemos dizer que era uma luxuosa e famosa carruagem - ou uma carroça que estava na moda.

Mas com a recente disseminação dos blogs, uma ferramenta CMS especialmente voltada para blogs (mas não restrita a isso) - wordpress - foi minha principal escolha por bastante tempo. Ele era rápido como uma flecha, cheio de plugins e temas na web, bem resolvido com feeds, trackbacks, pingbacks e comentários. E ainda era disponível de graça como serviço.

Apesar de muitos amigos me falarem do Drupal, eu pessoalmente nunca havia botado os olhos com atenção, pois estava muito contente com o wordpress.

Mas um dia desses entrei no site do drupal e me deparei com o lançamento da versão 6, que tem suporte nativo a OpenID, que permite tradução de conteúdo e interface, que promete zilhões de módulos e temas, e apresenta uma grande comunidade de desenvolvedores e usuários. Muito interessante, não? Ainda mais com indicações ilustres como do Dalton Martins e o Felipe Fonseca do coletivo metareciclagem.

Então pensei em transformar um projeto antigo meu em Drupal, e ir assim conhecendo a estrutura e como funciona o Drupal.
No fim me interessei bastante por ele, conheci muitas pessoas legais da comunidade, como o pessoal da Chuva Inc , e falarei bastante sobre o assunto por aqui.

Continua...

Bem-vindo, Pedro!

in


pedro, upload feito originalmente por Lourenzo.

Dia 26 de fevereiro de 2008, nasceu meu primeiro filho, o Pedro.

Nasceu muito forte e saudável, é muito tranquilo. Assisti ao parto cesariana, que foi muito emocionante. Na hora em que eu o vi pela primeira vez, bambeou a perna e o coração desparou!

Ele e a Karina ficaram apenas um dia após a cirurgia internados, e foram muito fortes e corajosos.

É a minha maior alegria até hoje!

Uma grande reforma

in

O cantinho do Pedro

Bom, este post serve para justificar meu sumiço da web - e ausência de posts por aqui... Era necessário reformar a casa em que moramos, para receber um ilustre novo morador.

Karina, com Pedro inside!
A precursora da coisa toda foi Karina, minha esposa que aguarda a contagem regressiva para dar à luz meu primeiro filho, o Pedro. Ela foi quem mais enfatizou e insistiu na necessidade do cantinho ficar mais aconchegante! É o instinto materno em ação!

Então fui obrigado a deixar de lado meu sedentarismo, e botar a mão na massa (corrida, argamassa, etc) e nas tintas.

A parada foi bem sinistra, mas os familiares ajudaram bastante também. Nosso quarto e cozinha sofreram uma reformulação e receberam cores mais vivas que o antigo verde-água em tudo.

Pois bem, todas as cores foram temperadas por mim, que tinha recebido uma breve aulinha da minha cunhada arquiteta... Heheh

Acabamento do quarto
Então, no fim das contas, o quarto ficou azul céu, com uma parede e um barrado superior em azul marinho. A parede azul marinho recebeu um barrado com tema marinho, cujas imagens a Karina achou em um "para colorir". Para este barrado especial, utilizar máscaras feitas com chapas de raio X, e spray acrílico.

Cozinha nova!A cozinha recebeu uma pintura em tom erva-doce, e também uma parede mais escura - em verde prússia, para dar um destaque. Prateleiras e outras coisas também ajudaram a dar um visual renovado.

Enfim, no feriado de carnaval eu estava descobrindo o decorador adormecido que habitava em algum canto do meu inconsciente... Fez muito bem para reorganizar tudo. Descobri que é fácil dar um toque especial no cafofo!

Sun compra MySQL e promete melhorias

Golfinho no SolO anúncio foi feito nesta quarta dia 16, de que a Sun Microsystems, empresa criadora da linguagem Java e mantenedora do OpenOffice pagou aproximadamente US$ 1 bilhão pela MySQL AB, empresa que desenvolve e dá suporte ao banco de dados de código livre MySQL, largamente utilizado na web. O pagamento foi dividido em US$ 800 milhões em dinheiro e US$ 200 milhões em ações.

A empresa MySQL AB será incorporada à Sun, e o diretor Marten Mickos será integrado ao corpo de altos executivos da Sun.

Mas não é só a MySQL AB - que tem sedes nos Estados Unidos e na Suécia, e tem o golfinho como símbolo - que saiu ganhando desta negociação. A Sun entra com os dois pés no mercado de bancos de dados corporativos, incluindo o banco de dados utilizado por gente grande como Google, Facebook,YouTube, Yahoo! e Nokia aos seus produtos.

Também foram prometidas melhoras que atingirão a comudidade de usuários do banco de dados, que continuará com seu código livre. O código será otimizado para as plataformas GNU/Linux e Microsoft Windows além de OpenSolaris e MAC OS X. Além disso, o MySQL com o sistema operacional OpenSolaris e o servidor de aplicações GlassFish, junto com a plataforma Java e a IDE Netbeans, criarão uma plataforma livre poderosa para aplicações Web.

Nunca superestime Release Candidates

Uma das propostas que me fiz nestas férias foi testar o tal do Kubuntu com o tão aclamado KDE 4 RC2. Encontrei vários poréns no caminho.

Primeiro: A versão do KDE 4 mais recente no momento (10/01/08) é o segundo candidato ao lançamento (em inglês, Release Candidate - ou simplesmente RC). Pos isso, o cd tem o KDE 4 RC2. A versão ainda não é estável, tem várias coisas ainda mal-resolvidas.

Segundo: O live CD do Kubuntu com o KDE 4 não permite que as atualizações nos pacotes do KDE 4, e nem tudo funciona legal quando você o instala no HD. E se você instala só os pacotes sem o live CD, muita coisa também não funfa. E pior que não necessariamente as mesmas coisas pifam na versão pacotes e versão liveCD. Você pode encontrar informações de como obter o cd e o repositório nesta página em inglês. Mas acho que você não vai querer fazer isto agora...

O grande alívio é: vai ter um super evento no próximo dia 18 de janeiro, lá no campus da Google - o lançamento do KDE 4. Esperançosamente imagino que até lá (ou algumas semanas depois), a grande ansiedade que tenho para obter um KDE 4, com as novidades e que realmente funcione, seja saciada.

Porque estou ansioso? O gerenciador de arquivos dolphin realmente é muito intuitivo, os editores de texto KWrite e Kate estão super bem-resolvidos. Além disso, os gráficos do QT4 são lindos, e o tal do plasma permite widgets super legais, mesmo que você não tenha aceleração 3D (ou não consiga ativá-la). Resumindo, o novo KDE é lindo.

Hoje achei um artigo legal, em inglês, que fala sobre a versão que será lançada como KDE 4.0.0 - que não será apenas um candidato cheio de promessas, espero. Também vi um álbum do picasa com screenshots da beldade que vem para arrasar corações nos desktops livres. Também achei esta demonstração maneira, de como o KWin do KDE 4 usará os recursos 3D diretamente. Muito bom!

Software livre e radicalismo

GNU meditandoUma das coisas que mais gosto no software livre são as várias opções para cada tipo de software. Essa característica, junto com a sensatez, me fez deixar um pouco de lado o radicalismo. Para explicar, vou contar uma pequena história.

Comecei a usar GNU/Linux em 1999, eu conheci primeiro a distribuição Red Hat, e ainda era necessário adicionar a IRQ do seu hardmodem da US Robotics às configurações, para poder acessar a Internet. Tudo era desafiador!

Na época, quem tinha mais processamento podia escolher entre os gerenciadores de desktop mais amigáveis e integrados - o GNOME e o KDE. Mas como meu PC era um Pentium II com uma super placa de vídeo Trident, eu era obrigado a usar coisas mais leves e primais - como o blackbox ou xfce.

Alguns anos depois, mudei de distribuição GNU/Linux - de Red Hat para Slackware - mais por uma questão de status. Entre os amigos, era chique contar que você compilou o kernel e seus programas. Pacote era coisa de fresco.

Com esse convívio, você acaba se deparando com as inúmeras divisões internas entre os usuários/desenvolvedores de software livre. Tudo é motivo para se formar duas ou mais "torcidas", que se zoam entre si, e ficam contando vantagem.

Taí um tipo comum de radicalismo, muito encontrado em nerds e simpatizantes. E eu, por muito tempo me considerava 100% geek. Mas percebo que essa mania de cisão também é comum entre outras tribos.

Voltando aos softwares, no momento em que o Slackware oficializou o KDE como desktop, e excluiu o GNOME, comecei a evangelização do KDE. Eu fazia rodar legal em Celeron 300 MHz um KDE rodando sobre Slackware. Argumentos não faltavam... KDE é mais estável, KDE usa menos memória, KDE o escambal...

Mas um belo dia (isso foi agora, em 2006), abaixei a cabeça e instalei o Debian. Pacotes de repente eram legais porque economizavam tempo. E ainda de quebra, descobri que o GNOME era mais amigável e intuitivo, e mais bonito também. Eu nem pensava em usar Ubuntu! Eu era contra coisas feitas por empresas, por programadores contratados. Ainda tinha muito radicalismo Stallmanista.

E mesmo com os mágicos instaladores de software, como o apt-get e o Synaptic, o Debian ainda era muito cru. Dava muito trabalho para deixar ele funcional e bonito. Então bora facilitar! Que venha o Ubuntu!

Hoje, ao ler o artigo do meu grande amigo Professor David, sobre as primeiras impressões dele sobre o novo KDE, acabei ficando tentado a experimentar. Nisso tive um estalo que levou à reflexão presente neste post.

Não vale a pena ser radical, cada um tem seu conjunto de necessidades, e seu gosto. Diversidade é importante!

Redação gráfica

Redação gráfica, upload feito originalmente por p.papagallis.

Durante o Café do SPED com pessoas das usinas sucroalcooleiras, no dia 29 de novembro.

Neste momento eu estava fazendo a redação gráfica de um aquário.

A redação gráfica é um trabalho muito interessante, e me faz pensar em vários aperfeiçoamentos e técnicas possíveis para passar ao mesmo tempo informações e subjetividades das conversas para o papel.

Extensão Better Gmail adaptada para o novo Gmail

Há algumas semanas, para quem usa o serviço de e-mail Google Mail e a compilação de facilidades "Better Gmail", houve uma surpresa desagradável. Nenhum daqueles truques legais funcionava mais.

Gostava muito de ver os marcadores em árvore, e ícones de anexo sensíveis ao tipo de arquivo anexado, entre outras.

Felizmente hoje (antes tarde do que nunca) descobri que já fizeram uma versão do Better Gmail compatível com a versão mais recente da interface da ferramenta.

A nova versão sugestivamente se chama Better Gmail 2 , está disponível no site de extensões do Firefox e também foi divulgada no blog Lifehacker.

Novo visual no site papagallis!

Andei me metendo a designer de novo...

Dei uma renovada no visual do blog da Papagallis, apenas com ferramentas livres!

Usei o delineate, uma ótima ferramenta livre de vetorialização de imagens que roda super bem em linux!

Além disso, o Inkscape para tratar os vetores todos, e o GIMP para a montagem e ajustes finais.

Ca está:

Divulgar conteúdo